Amor, carinho e cuidado

Queridos irmãos,
Graça e paz!

A aula de inglês estava pronta. Inclusive, eu já tinha listado na lousa o conteúdo do dia. A lição estava baseada no capítulo 5 do livro Interchange 1, que apresenta como vocabulário os membros de uma família. Considerando que ainda faltava 5 minutos para iniciar a aula, decidi ausentar-me da sala por alguns instantes. No trajeto para um cômodo ao lado, fui abordado por Aziza, uma das minhas alunas, que me fez um pedido inesperado: “Professor, acabei de ver o vocabulário da lição. Por favor, não ensine sobre família. Tocar nesse assunto é muito difícil para mim. Falar sobre família me faz sofrer”. Apesar de não dispor de muito tempo para mudar o conteúdo da aula, resolvi atender ao pedido da aluna. O jeito foi improvisar cada atividade, sempre fugindo do assunto que poderia deixar Aziza aflita. Ao final da aula, ela me abordou em particular, expressou gratidão e justificou a razão do seu pedido. “Professor, eu não tenho família. A guerra na Somália ceifou a vida de todos os meus familiares. Vivo só, porque não tenho mais ninguém nessa vida”. Aziza descreveu como se deu a perda dos familiares e como isso afeta profundamente a sua vida. Após relatar a sua história de sofrimento, ela concluiu. “Agora que desabafei, estou me sentindo aliviada. Na verdade, estou me sentindo outra pessoa. Acredito inclusive que estou pronta para tratar esse assunto. Na próxima aula, tenha liberdade para ensinar. Lidar com o vocabulário de família não é mais um problema para mim”.

Lamentavelmente, o trauma é uma realidade bastante presente na vida de muitos refugiados. Contudo, estudos têm demonstrado que amor, carinho e cuidado são fatores essenciais no processo de superação de uma experiência traumática. Muitos refugiados vencem o trauma apenas ao se relacionarem em ambientes saudáveis. Pela graça de Deus, creio que essa está sendo a experiência de alguns refugiados aqui.

Outra experiência recente que nos causou surpresa teve origem na interação com Nahida, uma refugiada do Sudão do Sul. Ela chegou a nós trazida por uma aluna, refugiada sudanesa. Ao final de uma aula, que ela participou como visitante, ela pediu para fazer parte da classe. Nahida justificou o pedido dizendo que além de quase não falar inglês, não falava nada de árabe e precisava de uma língua ou de outra para se comunicar neste contexto. Em seguida, entregou-me uma carta que contava um pouco da sua história. Nahida tem 33 anos, casou-se jovem, com um marido bem mais velho, e logo se tornou viúva. Segundo a cultura do seu povo, ela deveria ser dada em casamento a um dos irmãos do marido e foi o que aconteceu, meses depois do enterro. No entanto, ela começou a sofrer violência doméstica praticada pelo novo marido e, por não suportar as agressões, resolveu fugir de casa. A família do marido se sentiu desonrada, não aceitou a decisão de Nahida e decidiu persegui-la. Em sua saga de fuga, ela migrou para outras cidades do país, sempre que teve notícias de que os familiares do marido estavam no seu encalço. Não tendo mais para onde fugir em seu próprio território, decidiu se exilar na cidade do Cairo, no Egito. Contudo, os familiares do marido descobriram a sua localização e foram além das fronteiras do país em seu desejo de se vingarem da mulher. Em mais um grito por sobrevivência, Nahida mudou novamente de país, buscando refúgio aqui em nosso país de residência. Que Deus continue guardando a vida de Nahida e nos usando como Seus instrumentos para que ela receba amor, carinho e cuidado!

Os desafios que cercam a vida dos refugiados representam para nós oportunidades para tocarmos suas vidas. No entanto, estamos aprendendo uma lição importante e que se aplica a quem trabalha com o sofrimento humano. Ao lidarmos com as lágrimas e a dor de pessoas que experimentam trauma, podemos sofrer semelhantes transtornos emocionais, desenvolvendo o que os estudiosos chamam de trauma secundário. A fim de nos prepararmos melhor para enfrentar essa realidade, em três semanas, participaremos de um treinamento sobre saúde emocional elaborado pela Sociedade Bíblica Americana. O objetivo é nos capacitarmos para tratarmos com a realidade do trauma e do sofrimento na vida dos refugiados e em nossa própria vida.

Graças ao Senhor, consegui finalmente renovar o meu visto de residência e sou grato a todos vocês que intercederam por isso. Suas orações ainda são bem-vindas por esse assunto porque o visto da esposa e dos meninos ainda estão em processo de renovação. Um aspecto desafiador é que desta vez o visto foi concedido por apenas nove meses, em vez de um ano, como nas ocasiões anteriores. Estamos considerando a possibilidade de mudar a nossa categoria de visto na próxima renovação e pedimos que intercedam para que o Senhor nos dirija à melhor estratégia.

                                             

Com grande alegria compartilhamos com vocês a notícia da publicação da nova edição do livro Amor além das fronteiras, publicado agora pela editora Abba Press. O livro reúne 50 cartas que foram escritas ao longo do período de oito anos de trabalho no continente africano. Elas remontam uma parte importante da nossa jornada e reúnem testemunhos do agir de Deus e em nossa vida e na vida dos nossos amigos africanos. A data oficial do lançamento do livro é o dia 1 de dezembro. Logo, compartilharemos mais informações a esse respeito.

Somos muito gratos a todos vocês que militam fielmente em nossa retaguarda. Que o Senhor abençoe ricamente cada um dos irmãos! 

Em Cristo,

Família Oliveira

 Faça parte desta obra

 

A manutenção do nosso projeto missionário se dá por meio da contribuição voluntária de igrejas e pessoas físicas que amam a obra missionária.

Se o Senhor falar ao seu coração e você desejar investir em missões por meio das nossas vidas, por favor, entre em contato conosco e forneceremos todas as informações para que você seja um mantenedor do nosso ministério. Sua participação em nossa jornada será fundamental para continuarmos prosseguindo.

Você também pode participar de forma pontual, enviando-nos uma oferta especial através de uma das nossas contas bancárias:

Bradesco
Conta Poupança
Agência 0582-7
Conta 1008127-0

Banco do Brasil
Conta Corrente
Agência 1579-2
Conta 16946-3

PIX
Você também pode enviar a sua contribuição capturando a imagem do QR Code e colando o código de pagamento no seu ambiente PIX ou usando a seguinte chave PIX: Celular: +55 21 97187-1143.